terça-feira, 4 de novembro de 2014

Dai-nos o pão de cada dia
"Dai-nos o alimento para a manutenção das forças do corpo. Dai-nos também o alimento espiritual, para o desenvolvimento do nosso Espírito.
A besta tem o seu pasto, mas o homem deve-o à sua própria atividade e aos recursos de sua inteligência, porque o criastes livre.
Disseste-lhe:
"Tirarás o alimento da terra com o suor de teu rosto". 
Com isso, fizeste-lhe do trabalho uma obrigação, a fim de que praticasse sua inteligência na busca dos meios de prover suas necessidades e bem-estar, uns pelo trabalho material, outros pelo trabalho intelectual.
Sem o trabalho, ele ficaria estacionário, e não poderia aspirar à felicidade dos Espíritos superiores.
Sustentai o homem de boa vontade que confia em vós para o necessário, mas não aquele que se compraz na ociosidade, e que gostaria de obter tudo sem cansaço, e nem aquele que busca o supérfluo. 
Antes de lamentarmos nossa sorte, perguntemo-nos se não foi obra nossa. 
A cada infelicidade que nos ocorra, perguntemo-nos se não dependia de nós evitá-la. Mas lembremos que Deus nos deu a inteligência para tirar-nos do lamaçal, e que só depende de nós usá-la."
Allan Kardec - O Evangelho segundo o Espiritismo