terça-feira, 26 de agosto de 2014

Não infernize sua vida

"Deus nos criou para a harmonia, para a felicidade. Agora, nós criamos os mecanismos do sofrimento, da expiação, em nós mesmos.
O inferno reside em nossa própria mente, quando nós infernizamos a nossa vida, quando entramos num processo de culpa intensivo, absoluto, conscientemente nós estragamos nossa vida cerebral, o nosso mundo mental."
Chico Xavier

"Chico nos oferece diretrizes seguras para uma sincera análise do sofrimento em nossa vida. 
A ideia inicial é a de que a dor não vem de Deus. Não existe castigo divino, Deus não está distribuindo prêmios ou castigos aos seus filhos.
Deus nos criou para a harmonia e para a felicidade, e fez isso porque nos ama. E quem ama quer ver a pessoa amada bem. Imaginemos o tamanho do amor de Deus por nós. Nesse amor não tem espaço para ódios, vinganças e castigos.
Com Chico aprendemos que a dor nasce quando "infernizamos nossa vida", ou seja, quando vivemos longe do céu que Jesus nos apresentou em seu Evangelho. Esse "céu" não é um lugar, uma região astral, é um estado de espírito que se alcança quando o amor se torna o eixo central de nossa vida, e a partir dessa tomada de posição, nós automaticamente nos tornamos mais caridosos, compassivos, tolerantes, humildes e dotados de uma incrível alegria de viver.
Quando, porém, vivemos em função do desamor, caímos nas garras do egoísmo e passamos a infernizar nossa vida infernizando a vida do próximo. Do egoísmo nasce todo o mal de nossa vida.
Quando passamos por cima dos direitos e sentimentos alheios, quando nos julgamos maiores ou melhores do que os outros, acabamos criando um verdadeiro inferno em nossa consciência, pois é nela que as Leis Divinas se acham agravadas. A consciência entra em processo de culpa e nosso mundo mental se desequilibra, proporcionalmente, em nível do mal que geramos na vida de nossos semelhantes.
O mal pode nos fazer, momentaneamente, um bem aparente. Mas, depois que a consciência acusar o equívoco, e isso acontecerá, mais dia, menos dia, entraremos naquele período comumente chamado de "inferno astral", que nada mais representa do que o inferno consciencial gerando dor e sofrimento, tal como um vulcão em erupção que lança de si as lavas incandescentes, arrasando toda vegetação ao redor.
Para sair do inferno e entrar no céu, precisamos adquirir o passaporte do amor. Está à venda agora mesmo na loja do seu coração."

José Carlos de Lucca