terça-feira, 1 de julho de 2014

Almas Gêmeas... na visão Espírita






 Existem as almas gêmeas, metades eternas que se buscam para uma união perfeita, uma felicidade sem fim?
                            "Segundo informações colhidas por Kardec (O Livro dos Espíritos, questões 298 e 299, e Revista Espírita, maio de 1958), os Espíritos não são criados aos pares. Não existem metades eternas ansiosas por se encontrarem."
 Em O Consolador, psicografia de Francisco Cândido Xavier, o Espírito Emmanuel defende a ideia das almas gêmeas.

                            "Sim, mas como ele mesmo destaca, não se reporta a metades eternas que se buscam, mas a Espíritos que se ligam por laços de legítima afetividade, ao longo dos milênios, no desdobramento de experiências evolutivas. Acredito que a Misericórdia Divina favorece esse tipo de ligação, a fim de que ambos se auxiliem e se amparem mutuamente."

Como ficam as famílias espirituais se assim considerarmos? Não são constituídas, também, de Espíritos que se harmonizam ao longo do tempo, ajudando-se mutuamente?

                   "Sem dúvida, e a tendência é ampliar-se cada vez mais a família espiritual, na medida em que outros Espíritos passem a fazer parte dela. Não obstante, segundo a ponderável tese de Emmanuel, cada um de seus membros terá sua alma gêmea."

Pode ocorrer que esses pares afins, que Emmanuel situa como almas gêmeas, reencarnem ligados pelo laços do sangue, tipo pai e filha, mãe e filho, irmãos?

                  " Pode acontecer, atendendo às experiências evolutivas que escolham ou que lhes sejam impostas. Temos aí a origem de ligações muito fortes entre dois membros de uma família, uma afinidade intensa e uma afetividade que transcende a mera ligação consanguínea."

Podem as almas gêmeas experimentar o dissabor de uma separação definitiva?

                   "Se são Espíritos que a sabedoria divina ligou por sagrados elos, em favor de sua evolução, tal contingência nunca acontecerá, mas ao longo da jornada certamente haverá separações transitórias, como, por exemplo, a morte de um deles, quando juntos na carne, ou a reencarnação, quando juntos na Espiritualidade. Ou pode acontecer de um reencarnar e o outro permanecer no Além."

Pode ocorrer que, em face de determinados comprometimentos, o Espírito perca o contato com a sua alma gêmea, que segue à sua frente na jornada evolutiva?

                   "Alguns relatos de André Luiz e Emmanuel, pela mediunidade de Chico Xavier, nos dão conta de que isso pode acontecer, não propriamente uma perda de contato, mas uma impossibilidade transitória de união, até como um estímulo para que o retardatário apresse o passo, ensejando o reencontro, ideal que será intensamente acalentado por ambos."

Pode ocorrer que nas lides humanas venham a encontrar-se almas gêmeas que já estão vinculadas a outros compromissos afetivos, com famílias constituídas?

                   "Sim, por imperativos cármicos, em face de desvios do passado e como ensejo para o exercício de renúncia e sacrifício. Se mantiverem fidelidade aos seus compromissos, estarão crescendo espiritualmente e habilitando-se à realização de seus anseios de união, mais tarde, quando retornarem à Espiritualidade. Se decidirem deixar a família humana para estarem juntos, fatalmente terão problemas pela frente, já que ninguém pode pretender construir a própria felicidade sobre a infelicidade alheia, no caso dos familiares negligenciados."

Em altos planos do infinito, entre Espíritos puros e perfeitos, subsiste a ligação das almas gêmeas?
                   "Os que lá vivem não mais se ligam a alguém, na experiência das almas gêmeas, ou a alguns na experiência da família espiritual. Ligam-se a toda a criação, na divina experiência do amor universal. O seu lar, o Universo; sua família, todos os filhos de Deus."

Richard Simmonetti